Sob o tema “O jovem profissional no centro da transformação digital”, no sábado, 5 de dezembro, aconteceu o XI Encontro Estadual Crea-SP Jovem, iniciativa do Crea-SP para aproximar jovens profissionais, estudantes e recém-formados de cursos de graduação da área tecnológica do seu sistema profissional, incentivando-os a exercer suas atividades com ética e responsabilidade. O encontro teve oito horas de programação transmitidas no canal do YouTube a partir da Sede Angélica do Conselho, em um evento 100% online e gratuito, com a participação de uma plateia presencial previamente inscrita.

A abertura do XI Encontro Estadual Crea-SP Jovem contou com a participação do Eng. Telecom Vinicius Marchese Marinelli, presidente do Crea-SP; da coordenadora do Crea-SP Jovem, Eng. Ftal. Karla Borelli Rocha, e do conselheiro federal Eng. Civ. Carlos Eduardo Vilhena, representando o Confea. “Tenho muito carinho pelo Crea Jovem. Tenho certeza de que esse encontro poderá representar o início do processo de transformação digital, tão necessário para o nosso Conselho”, afirmou Marchese, ao saudar todos os presentes.

A Eng. Karla Borelli destacou que o objetivo do evento é aproximar cada vez mais o jovem do Sistema Confea/Crea/Mútua. “Queremos contribuir com a formação profissional de todos vocês e garantir que estejam prontos para a transformação digital que vem por aí”, disse.

O Eng. Carlos Vilhena, afirmou que o momento vivido representa uma nova revolução. “O momento é mudar, de disruptura, de novos trabalhos, novas empresas, novas maneiras de fazer e o Crea-SP está se antecipando a tudo isso”, afirmou.

Precisamos promover o encontro entre a empresa e o profissional por meio do Crea-SP

Mudar a cultura

Após a abertura, o presidente do Crea-SP fez uma apresentação sobre serviços e resultados do Conselho e falou da importância do jovem profissional para as mudanças propostas. “ Se quisermos mudar o Conselho é necessário abrir as portas para vocês, de verdade, trazê-los para o centro dessa transformação”, frisou.

Na avaliação do presidente, para que a transformação aconteça, além da tecnologia, é fundamental a mudança de mentalidade, de cultura das pessoas. “Devemos cultivar um sentimento de desafios, de assumir possíveis riscos na busca de soluções mais ágeis e eficientes”, disse.

Pessoas que fazem

Na sequência, a mestre de cerimônias e influencer digital Eng. Amb. Maria Constantino recebeu para um debate, coordenado pelo presidente Vinicius Marchese, o Eng. Civ. Eduardo Cavalcanti (Blog da Engenharia) e o Eng. Civ. Eduardo Mikail (Engenharia 360). Um dos temas foi o mercado de trabalho.

“Hoje, o mercado de trabalho precisa de pessoas que fazem”: foi assim que Vinicius Marchese resumiu o grau de exigência atual. Cavalcanti completou, afirmando que o mercado quer profissionais proativos, que não esperam o problema acontecer

Eduardo Mikail acrescentou que o profissional que desenvolva aspectos como inteligência emocional e empatia vai se destacar. “Também é de muita valia aprender a aprender e se antecipar às necessidades que surjam”, disse.

Multidisciplinariedade e inovação

Ricardo Rodrigues de França falou da multidisciplinariedade da profissão tecnológica

A segunda parte do evento trouxe palestrantes que dividiram suas experiências profissionais e como a tecnologia trouxe inovação e transformou não só suas carreiras, mas também suas vidas. O primeiro palestrante da tarde foi o Eng. Eletric. Ricardo Rodrigues de França, coordenador da Comissão de Relações Públicas (CRP) do Crea-SP, que contou aos participantes sua atuação junto à comissão e como a tecnologia tem transformado todas as áreas da Engenharia, gerando um perfil de multidisciplinariedade aos profissionais. “Hoje, aquele burocrata do papel não existe mais, ficou para trás, e hoje tudo precisa da tecnologia”, ressaltou.

Beck Novaes falou aos participantes sobre a jornada da transformação

Na sequência, o programador e designer Beck Novaes, que também é diretor de produtos da Redspark, comentou sobre a evolução da tecnologia e o que a jornada da transformação gera na vida das pessoas, inclusive na dele. “Hoje, você não pode parar nunca de estudar, e temos coisas para aprender todos os dias”, disse. Conceitos como Lean Startup, MVP, além de motivação na era digital, cultura, liderança foram também tratados durante sua palestra. “A transformação é um processo, que foi acelerado pela tecnologia e ganhou uma dimensão maior na pandemia”, finalizou o executivo.

Eduardo Cavalcanti: empreendedorismo é o que me move, que me faz acordar sorrindo quase todos os dias

O Eng. Eduardo Cavalcanti, do Blog da Engenharia, trouxe aos participantes sua experiência com o empreendedorismo e também dicas sobre marketing pessoal, que, na sua visão, são duas importantes vertentes para quem está começando. Destacou o LinkedIn como importante ferramenta e como a usa para gerar negócios e contou sua experiência junto ao blog que hoje tem reconhecimento no mercado. “O engenheiro não precisa apenas ficar na Engenharia. Somos profissionais híbridos e podemos atuar em praticamente todas as áreas do mercado”, destacou.

Clarisse dividiu sua história de como a inovação trouxe melhorias em processos de trabalho

Já a última palestra do evento ficou a cargo da engenheira Clarisse Gomes, que também é estrategista de Inovação na Deloitte. A executiva contou sua trajetória profissional, e como a inovação trouxe melhorias em vários processos. “Inovação não é para ser vista como coisa de jovem e sim como algo que pode simplificar a forma de trabalhar. Antes, as grandes mudanças nas empresas aconteciam a cada quatro, cinco anos, mas hoje é praticamente toda semana. E se a gente não se acostumar com isso, a gente vai sofrer. Mudança e adaptação fazem parte da rotina das empresas”, concluiu.

Confira a seguir depoimentos de alguns dos participantes:

Ana Amélia de Barros (esq), Eng. Civil, formada pela Faculdade Integrada Maria Imaculada, de Mogi Guaçu.
“Participei pela primeira do evento e adorei a recepção que tivemos aqui hoje”.

Paulo Marcio Politano, Eng. Civ. pelo Centro Universitário Amparense – UNIFIA.
“Vim pela primeira vez ao evento. Tudo pra mim foi novidade, adorei a recepção e a possibilidade de iniciar um networking com associações da minha região”.

Gustavo Saglia (esq), estudante de Engenharia da Computação
“A experiência do ano passado foi ótima e, por isso, vim pela segunda vez. O encontro é enriquecedor por conta da participação de tantos profissionais capacitados, vindos do Brasil todo. Para esse ano o objetivo foi reunir o máximo de informações sobre a nova era em que vivemos”.

Daniele Capela, Eng. Civil pela Faculdade Integrada Maria Imaculada
“Bem por empolgada com esse evento por ter a chance de trocar experiências com os participantes e absorver conhecimento com as apresentações dos palestrantes”. 

Rafael do Carmo Vieira, Eng. Civ. formado pela Universidade de Taubaté
“O evento é muito importante por disseminar tanto conteúdo relevante para os profissionais de Engenharia. Além disso, podemos nos aproximar da transformação proposta pelo Crea-SP”.

 

Produzido pela CDI Comunicação